Este é o meu quartinho de bagunça. Da embalagem vazia de Chokito ao último livro do Saramago que eu não terminei de ler, você encontrará aqui de tudo um pouco.

sábado, novembro 08, 2008

Não vejam antes de ler o texto!

Estávamos conversando sobre formas robóticas de subir uma escada sem usar os joelhos, quando o Tom Taborda manda essa:

"(...) eis outro protótipo que irá deixá-la um tanto... perturbada:

O exército americano está tentando desenvolver uma espécie de 'mula de carga' robótica. É um 'animal' robótico quadrúpede e autônomo, capaz de equilibrar-se sozinho em qqr terreno, levando a carga diligentemente.

O bichinho atende pelo nome de Boston Dynamics 'Big Dog'.

A não ser pelo zumbido constante e irritante, são impressionantes seus movimentos e equilíbrio."

O vídeo é este aqui, e eu comecei a assistir completamente indiferente - afinal, trata-se de um robô pro exército americano, tipo assim: foda-se. Eu só não podia imaginar que, quando o Tom disse que eu poderia ficar perturbada, ele estava efetivamente vendo minha reação numa bola de cristal. Aliás, eu jamais poderia imaginar que um dia pudesse colocar as palavras "perturbada" e "robô" no mesmo contexto, mas foi eu ver o vídeo pra me esvair em lágrimas. Transtornada é pouco pra descrever o que senti ao ver um cara chutando uma máquina que anda e se equilibra como um quadrúpede. Em algum momento, eu esqueci que aquilo fosse uma máquina, e só conseguia ver fidelidade (do quadrúpede carregador de peso) e ingratidão (do cara que chuta quem lhe faz tanto bem). Do chute eu diante, eu não parei de sentir náusea, desespero e pânico.

Estou alertando vocês: só assisti até o final porque, afinal, era um robô, mas putz grila: haja coração! Eles desenvolveram uma máquina com uma propriocepção inimaginável em algo articulado sem um SNC perfeito. Estou impressionada, não apenas com a máquina, mas com os efeitos que o vídeo teve sobre mim.

|

Links to this post:

Criar um link

<< Home