Este é o meu quartinho de bagunça. Da embalagem vazia de Chokito ao último livro do Saramago que eu não terminei de ler, você encontrará aqui de tudo um pouco.

quarta-feira, maio 28, 2008

A Lála me confunde.

Galera, eu sei que ando repetitiva, às vezes nem eu me aguento, mas preciso que vocês entendam o seguinte: a Lála me inspira. Pra mim, ela é uma espécie de musa, uma estrela de enorme grandeza em torno da qual eu simplesmente orbito, e aí é muito justo que, nos dias em que a tenho aqui, eu só consiga pensar nela, escrever sobre ela e, se Lála tivesse os músculos necessários para atender e falar ao telefone, eu provavelmente passaria o dia inteirinho dependurada no telefone com ela. Eu gostaria de ter, de verdade, disponibilidade afetiva para falar do Minc no Ambiente, das milícias em favelas, da caçada ao Pitbull da Mangueira, mas mesmo quando eu ouço granadas explodindo e disparos de metralhadoras a poucos quilômetros do meu escritório, só consigo pensar na Lála e em sua fobia de ruído.

O feriado prolongadíssimo, como todos sabem, terminou há 3 dias, mas as férias da pituca ainda perduram em minha casa. Quando seu dono a trouxe na semana passada, perguntei quando ele viria buscá-la, mas já perguntei não querendo perguntar, porque às vezes o dono se distrai e vai deixando o cachorro, vai deixando... mas aí, se eu vou e pergunto assim, em cima do laço, isso instantaneamente acende um alerta no cérebro do proprietário e ele logo se programa para voltar e buscar o cão num determinado dia. Pois foi só eu perguntar que ele respondeu, dando a entender que não seria dessa vez que ele esqueceria sua comigo. Mesmo correndo o risco de soar esquisita, despedi-me dizendo: "Olha, se você resolver não voltar para buscá-la, tudo bem: na minha casa tem um lixeirinha do tamanho exato da Lála." Ele sorriu e eu fiquei mais ou menos séria, pensando que da próxima vez eu tenho de ser mais objetiva e perguntar, por exemplo, se ele não gostaria de vendê-la ou trocá-la por um poeminha, sei lá.

***

Hoje não vou colocar fotos da Lála porque ontem ela "sofreu" uma tosa higiênica, que é aquele corte de cabelo que deixa as extremidades magras e o corpo gordo. Sou contra humilhar os outros com a publicação de fotos desfavoráveis. Não que a Lála estivesse completamente magra antes da tosa, mas toda mulher sabe que, dependendo do corte de cabelo, a vítima pode pular de leitoa a baleia num abrir e fechar de tesouras. Se nas mulheres o cabelo é a moldura do rosto, no poodle, é a moldura do corpo!

|

Links to this post:

Criar um link

<< Home