Este é o meu quartinho de bagunça. Da embalagem vazia de Chokito ao último livro do Saramago que eu não terminei de ler, você encontrará aqui de tudo um pouco.

terça-feira, abril 28, 2009

Ainda sobre a Gripe Suína, FINALMENTE a palavra dos especialistas

A Marilu, uma veterinária querida do meu trabalho extremamente atualizada em epizootias, me mandou hoje por e-mail uma notinha de veterinários [et al] sobre a gripe suína no Brasil. Por favor, leiam antes repassar spams com imagens chocantes absolutamente desnessárias de animais barbarizados. Além dessas imagens de barbárie não pertencerem a este contexto (gripe suína), é completamente desnecessário, como diria o Gil, propagar o horror.

E outra, e essa é nova pra mim: não é gripe suína, isso é termo ultrapassado. O H1N1 está tão longe dos porcos que hoje a doença se chama “influenza norte-americana”. E estamos falados!

Entidades de suinocultura divulgam nota oficial em conjunto


As entidades da cadeia produtiva brasileira da carne suína vêm a público prestar os seguintes esclarecimentos a respeito da “influenza norte-americana” e seu impacto sobre o mercado consumidor e exportador do produto no país:

1) O Brasil destaca-se no cenário mundial pela qualidade da carne suína aqui produzida, e exportada no ano passado para nada menos que 76 países, correspondendo a um faturamento superior a US$1 bilhão dólares. A cadeia produtiva desta carne reúne o esforço de cerca de 1 milhão de brasileiros em todos os seus elos. Temos o orgulho de salientar que a produção de proteína animal de origem suína no Brasil situa-se na fronteira da tecnologia existente, o que nos levou à condição de quarto maior produtor e exportador mundial.

2) A dimensão econômica e social do setor exige que a veiculação de informações de interesse do consumidor seja acompanhada do necessário rigor técnico e científico, de forma a não comprometer uma delicada e estruturada relação de confiança duramente construída ao longo dos anos.

3) Nesse sentido, as entidades sub-escritas chamam atenção para o comunicado divulgado pela Organização Internacional de Saúde Animal (OIE), segundo o qual é inapropriado denominar esse vírus de “GRIPE SUÍNA”, como tem recorridamente acontecido, tanto na mídia brasileira, quanto internacional. Isto pelo simples fato de que até agora não haja registro de que o vírus tenha sido isolado no animal e seus mecanismos de contaminação estejam cingidos à relação entre humanos.

4) A OIE sugere claramente que a doença seja nominada “influenza norte-americana”, seguindo a tradição de outras manifestações similares no passado, que ganharam denominação de caráter geográfico. Apoiamos integralmente essa recomendação e nos colocamos à disposição da imprensa para que seja atestada a qualidade do sistema produtivo brasileiro e o rigor do controle sanitário vigente em suas operações tecnificadas.

Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS)
Irineu Wessler
Sindicato Nacional da Indústria de Alimentação Animal (SINDIRAÇÕES)
Mário Cutait
Associação Brasileira dos Veterinários Especializados em Suínos (ABRAVES)
Augusto Heck
Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para a Saúde Animal (SINDAN)
Emílio Carlos Solani
Fonte : ABCS

Marcadores:

|

Links to this post:

Criar um link

<< Home